A história da Reciclagem no Brasil e no Mundo

reciclagem

Conheça a trajetória e evolução da reciclagem até os dias atuais no Brasil e no Mundo

Que a reciclagem foi uma das melhores soluções encontradas para o acúmulo de lixo, não temos a menor dúvida.

Mas você sabe onde foi que surgiu a reciclagem?

Quais países hoje são os que mais reciclam?

Vamos conferir essas curiosidades neste artigo.

O que é reciclagem?

reciclagem
A reciclagem reduz o lixo e economiza recursos – Foto: Reprodução/Pexels

A palavra reciclagem é de origem inglesa; “Re” significa repetir e ” Cycle” se refere a ciclo.

Em síntese, reciclar é transformar química, energética ou mecanicamente um produto ou embalagem em nova matéria-prima.

Essa matéria-prima pode ser utilizada para produzir o mesmo produto ou embalagem, ou ainda dar vida a outros materiais.

A reciclagem é realizada principalmente, visando diminuir o acúmulo de lixo gerado das atividades humanas e empresariais, mas ela também traz outros impactos ambientais positivos, como mitigar os efeitos causados pela poluição e reduzir o uso de recursos naturais.

A história do lixo

reciclagem
Veículo coletor de lixo, Sistema Mirus, 1911 – Foto: UERJ – A história do Lixo

Onde existe atividade, há geração de resíduos. Desde os primórdios, civilizações antigas, como os hindus, por exemplo, já utilizavam meios para descartar seus rejeitos.

Estudos de arqueólogos, demonstram que na pré-história se queimava lixo para diminuir o mau cheiro.

Também durante a Idade Média, em Roma, devido a epidemias e milhares de mortes, diversas cidades italianas adotaram medidas sanitárias.

Entre elas, podemos citar normas para destinação de carcaças de animais e dejetos, além disso a proibição e a destinação inadequada de dejetos por carroceiros.

Da mesma forma, foi proibido o lançamento de lixo e fezes nas ruas e o uso da água de enxurradas como meio de se livrar de lixo e dejetos, que provocavam o entupimento de canais.

A pavimentação, mesmo restrita às ruas e praças centrais, facilitou o movimento de carroças. Esses carroceiros faziam a coleta regular do lixo.

Em Praga, no ano de 1340 aproximadamente, foi implementado um serviço regular de coleta de lixo e limpeza de vias públicas sob a responsabilidade privada

Como podemos observar, a preocupação com o lixo já vem desde os tempos remotos.


Marco da Reciclagem

reciclagem
A Revolução Industrial aumentou o consumo e a geração de lixo – Foto: Reprodução/Pexels

Foi a partir da Revolução Industrial que a produção e o consumo dispararam, e por consequência houve o aumento na geração de resíduos.

Tornou-se primordial a criação de um sistema de gerenciamento desses resíduos.

Desse modo, a reciclagem se tornou uma necessidade real, já que os países perceberam que o lixo industrial e também o doméstico, tinham que ser destinados corretamente.

O sistema de coleta seletiva ganhou força em alguns países nos anos 70. Principalmente os Estados Unidos, percebeu que parte dos materiais poderia ser reaproveitado para produzir novas matérias-primas.

Reciclagem no Brasil

catadores
Em 1990 São Paulo reconheceu a profissão dos catadores – Foto: Reprodução/Pexels

A primeira experiência documentada de coleta de papel para reciclagem no Brasil teve início em abril de 1985 no bairro de São Francisco, em Niterói-RJ.

Além de papel foi separado também o lixo orgânico, plástico, metal e vidro.

De acordo com fontes, um dos articuladores desse trabalho foi o professor Emilio Eigenheer que estudou na Alemanha, entre 1981 e 1982 .

Nesse meio tempo, o professor demonstrou interesse pela gestão de resíduos do local, e quando voltou ao Brasil, mobilizou seus vizinhos para a separação correta.

Como resultado, iniciativas de coleta seletiva se espalharam pelo país.

Com esse avanço, surgiram a organização dos catadores e a formação de associações.

Os primeiros registros desses grupos vêm de Porto Alegre-RS, Canoas-RS e São Paulo-SP.

Na capital paulista, a prefeitura promulgou, em 1990, o DECRETO Nº 28.649 DE 5 DE ABRIL DE 1990, reconhecendo assim o trabalho profissional do catador.

Legislação e avanços

legislação
No Brasil foram aprovadas legislações importantes para a reciclagem – Foto: Reprodução/Pexels

Recentemente, o Brasil observou avanços significativos quanto a Politica Nacional de Resíduos Sólidos, principalmente.

Dentre eles, a aprovação do Plano Nacional de Resíduos Sólidos e o Crédito de Reciclagem.

O Plano Nacional de Resíduos Sólidos aprovado através do Decreto nº 11.043 de 13 de abril de 2022, traz mais segurança jurídica e previsibilidade para o investidor desenvolver infraestrutura física e logística para melhorar a gestão de resíduos sólidos no País, como por exemplo, reciclagem, reutilização e transformação de tudo isso em uma atividade verde relevante para o Brasil.

Dentre os decretos publicados em 2022, o Decreto nº 11.044 de 13 de abril, traz mudanças importantes, primordialmente para o setor de reciclagem.

Intitulado como Recicla+, o programa dispõe sobre créditos de reciclagem para cooperativas, catadores bem como empresas privadas.

A medida visa estimular a reciclagem, além de adotar medidas para a redução na geração dos resíduos sólidos.

Mercado Promissor

No Brasil, estima-se que cada um dos brasileiros gera cerca de 1 quilo de lixo por dia.

Por ano, nosso país gera aproximadamente 80 milhões de toneladas de lixo.

Entretanto, uma pesquisa realizada em 2021, demonstrou que nos municípios em que cobram taxa diferenciada de acordo com a quantidade de lixo gerada, houve uma redução de 8% na geração de resíduos desses municípios.

No ano de 2021, batemos um recorde na reciclagem de latas de alumínio, alcançando o montante de 98,7% desse resíduo reciclado e reinserido na cadeia produtiva.

Por outro lado, o país deixa de explorar o potencial de riqueza de outros resíduos, reaproveitando apenas 3% dos resíduos gerados.

De acordo com dados de uma universidade brasileira, a Alemanha recicla 56,1% dos resíduos, a Áustria, 53,8% e a Coreia do Sul, 53,7%.

Para elevar esses números, precisamos também fazer a nossa parte como cidadãos. Uma boa medida é separar em casa, os resíduos recicláveis, como por exemplo, latas e caixas de leite, dos não-recicláveis como os resíduos do banheiro.

Mesmo que sua cidade não possua sistema de coleta seletiva, muito provavelmente existem catadores em sua região.

Quando você separa os resíduos recicláveis do que vai para o contêiner de aterro sanitário, contribui para a renda desses agentes ambientais e torna o trabalho deles mais salubre.

Agora que conhecemos a história da reciclagem e sua importância, podemos repensar nossos velhos hábitos e separar os resíduos em casa!

Fonte: UERJ Recicla-se 2.0 Workshop Leis Descomplicadas

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Veja também

Receba diretamente em seu e-mail nossa Newsletter

Faça sua busca
Siga-nos nas redes sociais

  Últimos Artigos