Braskem, Antilhas e Solví criam embalagem feita com conteúdo pós-consumo para fertilizante orgânico

embalagem

Ecossistema de inovação criado pelas empresas visa impulsionar a economia circular, desde a concepção do produto até sua reinserção na cadeia produtiva.

A Braskem, juntamente com a Antilhas, e a Solví, desenvolveram uma embalagem 100% reciclável stand-up pouch monomaterial com capacidade para armazenar 2 kg do fertilizante orgânico da Organosolví – empresa do Grupo Solví.

A embalagem, desenvolvida no Cazoolo – Lab de Design para Embalagens Circulares da Braskem –, é produzida com polietileno (PE) e ainda conta com resina reciclada pós-consumo (PCR) Wenew, oriunda de logística reversa de embalagens flexíveis, em sua composição.

Economia regenerativa

embalagem
Foto: Grupo Solví

A solução será utilizada pela Organosolví, que produz fertilizantes orgânicos a partir da compostagem de resíduos e subprodutos orgânicos da agroindústria.

Baseado nos conceitos de economia regenerativa, o fertilizante contribui para a recuperação dos sistemas naturais do solo, proporcionando uma nutrição segura para cultivo doméstico de plantas, flores e frutas, além de trazer benefícios para a saúde e bem-estar de quem o utiliza.

Agora, este produto orgânico e sustentável, já utilizado por grandes produtores de alimentos, está disponível também para todos os consumidores em diversos Garden centers e lojas de plantio em todo o Brasil.  

“Tudo começou quando a Organosolví, que já oferecia ao mercado um fertilizante orgânico obtido de forma 100% circular, decidiu levá-lo para o consumidor final, lançando o 1° produto de gondola do Grupo Solví para o varejo. Porém, um grande desafio foi encontrar no mercado uma embalagem que fosse coerente com o produto e valores do Grupo, ou seja, circular por design. Foi quando, o time de pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I) da Solví, ao olhar para o ecossistema de inovação, encontrou parceiros que aceitaram o desafio de co-construir algo totalmente novo” relata Ariane Mayer, head de inovação aberta e sustentabilidade do Grupo Solví. “Assim, a embalagem nasceu como uma sequência natural do portifólio sustentável das empresas envolvidas”, complementa.

Menos emissões

embalagem
Foto: Grupo Solví

A embalagem contém em sua composição 57% de PCR Wenew, produto que faz parte do portfólio da Braskem de soluções com conteúdo reciclado.

A utilização do PCR na composição da embalagem permite evitar uma média equivalente de 25% de emissões de CO2, em comparação a uma produzida com matéria-prima (PE) virgem.

“Ao investir em parcerias como essa, que envolve desde a concepção da embalagem do produto até sua destinação adequada, a Braskem contribui para impulsionar todos os elos da cadeia rumo à economia circular. A sustentabilidade está no centro de nossa estratégia e estamos muito satisfeitos em encontrar parceiros que compartilham desses mesmos valores, que possibilitam a criação de soluções inovadoras”, explica Fabiana Quiroga, diretora de Economia Circular da Braskem na América do Sul.

“Estamos focados em garantir que a circularidade possa ser praticada na gestão de resíduos, ampliando a oferta de negócios voltados para recuperação de recursos e regeneração dos ecossistemas, como a logística reversa de resíduos pós-consumo, unidades de triagem e a compostagem. Com seu primeiro produto de gôndola, a Organosolví, de maneira pioneira no Grupo, estende a nossa excelência ao consumidor final, oferecendo um produto orgânico e sustentável” afirma Celso Pedroso, CEO do Grupo Solví. “E contamos com parcerias como esta, para continuarmos perpetuando nosso propósito de oferecer soluções para a vida” complementa.

Embalagem sustentável

economia circular
Foto: Reprodução/Pexels

A embalagem stand-up pouch foi produzida pela Antilhas.

As artes foram impressas com tinta Gelflex Electron Beam, tecnologia exclusiva da empresa, em que é possível se obter uma redução de 50% no consumo de energia e de 95% em emissões de compostos orgânicos voláteis (VOC’s).

“Estamos orgulhosos em lançar nosso novo produto, resultado de um projeto colaborativo. Ampliamos nosso portfólio com uma embalagem que vai além de sua função principal. Ao adotar a tecnologia de impressão EB e incorporar materiais pós-consumo, promovemos o fechamento da economia circular, impactando positivamente o planeta. A Antilhas sempre se dedicou ao desenvolvimento de inovações e tecnologias para embalagens, e o stand-up pouch PCR, uma embalagem monomaterial 100% Polietileno (PE), é mais um passo nessa direção. Ao utilizar matérias-primas provenientes da reciclagem, favorecemos o processo de economia circular. Estamos felizes em oferecer aos nossos clientes uma solução sustentável, alinhada com os valores da Antilhas.” disse, Carlos Hugo Caramelo, gerente técnico comercial da Antilhas.

De acordo com Yuri Tomina, líder do Cazoolo, o ecossistema de inovação viabilizou o desenvolvimento de soluções únicas e de grande valor para o mercado.

“Construímos juntos um grande projeto que viabilizou todas as etapas da economia circular. A embalagem desenvolvida une dois importantes conceitos de circularidade: uma solução monomaterial, característica que facilita o processo de reciclagem mecânica, possibilitando sua recuperação após o uso e retorno ao ciclo como matéria-prima; e a inserção de conteúdo reciclado (PCR), atendendo completamente à demanda da Organosolví por uma embalagem mais sustentável para seu produto”, afirma.

Descarte das embalagens

embalagem
Foto: Reprodução/Pexels

Para engajar o consumidor final a fazer parte dessa circularidade proposta, a embalagem irá trazer orientações quanto ao descarte adequado, que poderá ser realizado em qualquer sistema de coleta seletiva mais próximo, em coletores identificados pela cor vermelha (plásticos) ou na fração seca.

O Grupo Solví também tem parceria com a startup Coletando, que conta com ecopontos espalhados em diversas cidades do Brasil.

Ao serem descartadas nos ecopontos da Coletando, as embalagens de polietileno recuperadas poderão retornar à Braskem, que por sua vez fará o processo de transformação da embalagem em resinas recicladas pós-consumo e, posteriormente, em novos produtos, contribuindo para a economia circular.

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Veja também

Receba diretamente em seu e-mail nossa Newsletter

Faça sua busca
Siga-nos nas redes sociais

  Últimos Artigos