Unidade de tratamento e gestão de resíduos será instalada em Lençóis Paulista com investimento de R$ 200 milhões

aterro

A Unidade de Tratamento e Gestão de Resíduos Sólidos (UTGR) de Lençóis Paulista deverá começar a ser implantada em outubro deste ano.

Especializada em gestão de resíduos sólidos a empresa Multi Bioenergia, de Guarulhos, construirá uma unidade para gestão de resíduos em Lençóis, com previsão de investimento inicial de R$ 200 milhões e geração de mais de 300 empregos diretos e indiretos a partir da fase de implantação. 

A implantação da Unidade de Tratamento e Gestão de Resíduos Sólidos (UTGR) em Lençóis Paulista está programada para iniciar em outubro deste ano.

De acordo com as informações divulgadas, as operações na planta devem começar em 2025.

Gestão de resíduos sólidos

resíduos
Foto: Reprodução/Pexels

A área designada para essa unidade abrange aproximadamente 1,2 milhão de metros quadrados e está localizada na zona rural.

A finalidade principal dessa estrutura é receber, gerenciar, tratar e dispor adequadamente resíduos sólidos domiciliares e industriais não perigosos.

O prefeito confirmou a implantação da planta gestora de resíduos, e revelou que as negociações estão em andamento há quase três anos.

Ele destacou que nada foi divulgado anteriormente para evitar criar expectativas prematuras.

Agora, o empreendimento está na fase final de aprovação pelos órgãos competentes.

Parque Tecnológico

Lençóis Paulista
Foto: Reprodução/Pexels

De acordo com documentos obtidos pela reportagem de “O Eco” junto à Companhia Ambiental do Estado de São Paulo – CETESB, o projeto contempla a criação de um aterro sanitário industrial e um parque tecnológico.

Inicialmente, o parque incluirá uma unidade de compostagem e outra de produção de combustível derivado de resíduos (CDR).

Uma segunda fase prevê a implementação de uma unidade geradora de energia elétrica e uma usina de produção de biometano a partir de biogás.

O aterro sanitário, abrangendo 375,6 mil metros quadrados, está projetado para receber até 1,2 mil toneladas diárias de resíduos, com vida útil estimada em pelo menos 15 anos.

Além de Lençóis Paulista, outros 16 municípios podem se beneficiar do empreendimento, incluindo Agudos, Areiópolis, Barra Bonita, Bauru, Boraceia, Borebi, Botucatu, Igaraçu do Tietê, Itapuí, Jaú, Macatuba, Mineiros do Tietê, Pederneiras, Piratininga, Pratânia e São Manuel.

Unidade de compostagem

Lençóis Paulista
Foto: Reprodução/Pexels

A unidade de compostagem reiclará a matéria orgânica nos resíduos sólidos, transformando-a em compostos orgânicos para condicionamento do solo.

Já na unidade de produção de CDR, ocorrerá a separação, trituração e classificação granulométrica de resíduos para uso como combustível sólido na indústria.

A segunda etapa do empreendimento incluirá a criação de uma unidade geradora de energia elétrica a partir da queima do biogás, além de uma usina de produção de biometano derivado do biogás resultante da decomposição biológica do lixo no aterro sanitário. Esse produto substitúi o Gás Natural Veicular (GNV) e da mesma forma, como fonte energética em indústrias e na produção de fertilizantes nitrogenados.

O cronograma estabelece o início das obras para outubro deste ano, após a conclusão do processo de licenciamento iniciado em julho de 2023. Se tudo transcorrer conforme o planejado, a UTGR poderá iniciar suas operações no primeiro semestre de 2025.

A escolha de Lençóis Paulista se deve à logística favorável e ao potencial econômico, considerando o esgotamento de vida útil de vários aterros sanitários municipais na região e a exploração do uso do biogás para geração de energia elétrica e produção de biometano em substituição a fontes fósseis.

Fonte: O Eco

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Veja também

Receba diretamente em seu e-mail nossa Newsletter

Faça sua busca
Siga-nos nas redes sociais

  Últimos Artigos