Inspirar para evoluir e caminhar com uma pegada mais leve

Parque Nacional do Boqueirão da Onça e seu bioma único

onça

O Parque Nacional do Boqueirão da Onça guarda a maior população de onças-pintadas da Caatinga

O Parque Nacional do Boqueirão da Onça é um parque brasileiro localizado na Bahia.

Seu território está localizado nos municípios de de Campo Formoso, Juazeiro, Umburana, Sobradinho e Sento Sé, às margens do rio São Francisco.

Criado em 2018, ele conta com uma área estimada de 350 mil hectares de Caatinga.

Bioma exclusivamente brasileiro

onça
A Caatinga é bioma exclusivamente brasileiro – Foto: Reprodução/Pexels

A Caatinga é um bioma exclusivamente brasileiro.

A área de Caatinga corresponde a cerca de 11% do território nacional, com aproximadamente 27 milhões de pessoas, que dependem desse bioma para sobreviver.

Grande parte de seu patrimônio biológico não pode ser encontrado em outro lugar do mundo, o que torna este bioma tão importante para o país.

O ecossistema abriga a maior diversidade de plantas conhecida no Brasil e uma das mais importantes áreas secas tropicais do planeta.

A Caatinga é formada principalmente por vegetação xerófila, adaptada às condições de aridez.

No entanto, em algumas regiões podem ocorrer vegetação florestal, como em alguns pontos do Parque Nacional do Boqueirão da Onça.

Essas florestas ajudam na manutenção dos boqueirões, pontos onde há acúmulo de água da chuva e que inclusive são fonte de inspiração ao nome do Parque. Nelas também existem nascentes, até mesmo durante o período da seca.

Fauna

boqueirão
O parque é habitat de onças-pintadas da Caatinga – Foto: Reprodução/Pexels

Fazendo referência ao nome do parque, o local é o refúgio da maior população de onça-pintada da Caatinga.

Na região existem aproximadamente 250 onças-pintadas, de acordo com o ‘Programa Amigos da Onça‘.

A região também abriga uma enorme diversidade de aves, entre elas a criticamente ameaçada arara-azul-de-lear, o beija-flor-de-gravata-vermelha e o pintassilgo-do-nordeste, por exemplo.

Também é possível encontrar na região do parque as espécies endêmicas , a jacucaca,o arapaçu-do-nordeste, o bico-virado-da-caatinga e igualmente o arapaçu-beija-flor e o joão-xiquexique.

Sítios Arqueológicos

onça
A região do Parque Nacional do Boqueirão da Onça abriga sítios arqueológicos – Foto: Reprodução/Pexels

Nos territórios de Casa Nova, Remanso, Pilão Arcado bem como em Juazeiro, Sento Sé e Xique-xique foram identificados os primeiros sítios rupestres da região.

As pinturas foram definidas pelos arqueólogos como sendo de homens que viveram na Idade das Renas, entre 15000 a.C. e 9000 a.C.

Além disso, existem cerca de 3 mil sítios em rochas de boqueirões e grotas, onde pinturas rupestres revelam, segundo arqueólogos, um homem pré-histórico que teria vivido há 16 mil anos.

Para o setor turístico, essas descobertas têm forte potencial para atrair turistas e assim aquecer a economia da região.

Cavernas

onça
Salão dos Discos Caverna Toca da Boa Vista – Foto: Gilmar D. Oliveira/JP Lugares fantásticos

O Parque Nacional do Boqueirão da Onça também faz parte de um mosaico de unidades de conservação, que inclui uma Área de Proteção Ambiental (APA), onde se localiza a Toca da Boa Vista, a maior caverna do hemisfério sul.

É a maior caverna brasileira em extensão, com 97,3 km, que se interliga com a Toca da Barriguda, com 33 quilômetros de extensão.

As cavernas e as belezas da fauna, bem como o seu bioma particular, fazem deste parque um grande potencial de ecoturismo.

Entretanto, o Parque Nacional do Boqueirão da Onça ainda atualmente não está aberto a visitação.

Mas existem opções de passeios para fazer na região, com guias.

Fonte: ICMBio Lugares Fantásticos WWF Brasil UOL

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Veja também

Receba GRÁTIS notícias no seu e-mail

Siga-nos nas redes sociais

Últimos artigos