Inspirar para evoluir e caminhar com uma pegada mais leve

Plano da União Europeia anuncia proibição de produtos químicos nocivos

plano

Plano é considerado como a maior proibição para produtos químicos considerados nocivos

A União Europeia anunciou um plano para proibição de produtos químicos considerados nocivos.

De acordo com as informações, essa seria a maior proibição de todos os tempos, para esses produtos.

Com as novas restrições, até 12 mil produtos podem ser incluídos na lista de proibição.

Poluição Química

poluição
Segundo cientistas esse ano alcançou números alarmantes – Foto: Reprodução/Pexels

De acordo com um estudo realizado no Reino Unido, a poluição química ultrapassou os limites seguros para a humanidade.

Ainda segundo esse estudo, acredita-se que devido sintéticos estão levando as espécies de baleias a beira da extinção.

O plano foi elaborado como um primeiro passo para modificar esse quadro.

Usando as leis já existentes, a União Europeia pretende proibir substâncias toxicas que têm ligações com a incidência de doenças, como obesidade e distúrbios hormonais, por exemplo.

O documento elaborado pela Comissão Europeia, e grupos industriais afirmam que 12 mil substâncias podem acabar se enquadrando nas novas normas.

Como resultado, essa seria a maior proibição de produtos químicos nocivos do mundo.

Desintoxicação Ousada

plano
A European Environmental Bureau (EEB) classificou o plano como uma desintoxicação ousada – Foto: Reprodução/Pexels

A princípio, a European Environmental Bureau (EEB) classificou o plano como uma desintoxicação ousada.

Entretanto, é uma medida necessária para conter os impactos negativos para o meio ambiente e para a saúde humana.

A promessa é melhorar a segurança de quase todos os produtos fabricados, além de diminuir rapidamente a intensidade de tóxicos nocivos nas escolas, casas e locais de trabalhos, ressaltou Tatiane Santos, gerente de política de produtos químicos da EBB.

O plano concentra-se em classes inteiras de substâncias químicas pela primeira vez , incluindo todos os retardadores de chama, bisfenóis, plásticos de PVC.

Da mesma forma, químicos tóxicos em fraldas descartáveis ​​e PFAS, pois demoram para se degradar naturalmente.

Controvérsias com a Indústria

queda de braço
O plano elaborado pela UE não agradou a Indústria e está gerando polêmicas – Foto: Reprodução/Pexels

As substâncias consideradas pela Agência Europeia de Produtos Químicos, são parte de uma lista que passa por revisões contínuas, antes do Regulamento Reach da UE, previsto para entrar em vigor em 2027.

Dentre os produtos identificados como noviços no novo artigo,  incluem substâncias em materiais de contato com alimentos, fraldas descartáveis ​​e PAHs (hidrocarbonetos aromáticos policíclicos) em grânulos para parques infantis.

Por outro lado; a indústria não concorda com todos os pontos do plano.

Segundo gestores do setor de cosméticos, por exemplo, argumentam que a inclusão de alguns produtos pode prejudicar a produção de protetores solares e perfumes, pois eles frequentemente utilizam substâncias sintéticas.

Além disso, os produtos afetados podem incluir tintas, produtos de limpeza, adesivos, lubrificantes e pesticidas.

Conforme estudo realizado, o sistema Reach da Europa já é o registro de produtos químicos mais extenso do mundo.

Ainda segundo esse estudo, novas proibições podem atingir mais de um quarto do faturamento anual da indústria de cerca de € 500 bilhões por ano.

Por fim; o comissário do meio ambiente da União Europeia, Virginijus Sinkevičius, afirmou que as novas restrições visam reduzir a exposição das pessoas e do meio ambiente aos produtos químicos mais nocivos.

Ainda mais, para alcançar um ambiente livre de tóxicos exige transparência e visibilidade para que as empresas estejam preparadas para as restrições futuras.

Ambientalistas alemães afirmam que milhões de toneladas de substâncias químicas foram usadas por gigantes industriais na UE, sem concluir as verificações de segurança entre 2014 e 2019.

Fonte: The Guardian

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Veja também

Receba GRÁTIS notícias no seu e-mail

Siga-nos nas redes sociais

Últimos artigos