Inspirar para evoluir e caminhar com uma pegada mais leve

Rio de Janeiro lança Programa de Logística Reversa

reversa

O Programa de Logística Reversa visa competitividade e melhoria da qualidade ambiental

O Estado do Rio de Janeiro lançou no dia 21 de junho, um Programa de Logística Reversa.

Chamado de Retorna RJ, o programa visa fomentar a operacionalização do conceito no Estado.

O Programa

reversa
O Programa Retorna RJ do SEAS e INEA – Foto: Reprodução/Pexels

O Projeto Retorna RJ foi lançado pela Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade (SEAS) e o Instituto Estadual do Ambiente (INEA).

A apresentação ocorreu na sede da Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro (CDURP), no Centro da capital fluminense.

Amparado pela Política Nacional de Resíduos Sólidos, o programa tem como objetivo fomentar políticas públicas sobre o conceito de Logística Reversa no Rio de Janeiro.

Em síntese, a Logística Reversa  é um conjunto de procedimentos e meios para recolher e dar encaminhamento pós-venda ou pós-consumo ao setor empresarial, para reaproveitamento ou destinação correta de resíduos.

Estiveram presentes o Presidente do INEA Philipe Campello, o Subsecretário de Conservação da Biodiversidade e Mudança Climática, Flávio Gonçalves, a Subsecretária de Saneamento Ambiental, Jaqueline Alvarenga.

Igualmente, a FIRJAN participou do evento de lançamento oficial, e apresentou os principais desafios e pleitos do setor industrial para o retorno dos recicláveis pós-consumo.

Demandas da Indústria

reversa
A indústria levou suas considerações para a implementação do Retorna RJ – Foto: Reprodução/Pexels

A indústria levou suas demandas e desafios para o Estado, para que a logística reversa seja viável técnica e economicamente.

Dessa forma, trazendo competitividade para as empresas fluminenses e resultados concretos para a melhoria da qualidade ambiental.

De acordo com a FIRJAN, o Retorna RJ atendeu algumas das demandas, como por exemplo, para cada 5% da taxa de embalagens de vidro retornáveis colocadas no mercado por uma empresa, será descontado 1% da meta necessária para o cumprimento da sua meta quantitativa de embalagens de vidro descartáveis.

Assim também, disponibilizará um sistema integrado de comprovação da logística reversa, gerido pelo Governo do Estado.

Sem custo adicional para as empresas e reconhecendo modelos variados de operacionalização do retorno de embalagens.

Ainda mais, especificidades de cada sistema de logística reversa, previstos na Política Nacional de Resíduos, serão determinadas por meio de resoluções do Conselho Estadual do Meio Ambiente (CONEMA).

Como resultado, essas medidas garantem a participação do setor industrial na sua construção e trará homogeneidade de entendimento entre estado e municípios. 

Sistema Integrado

erp
O sistema do Retorna RJ será integrado – Foto: Reprodução/Pexels

O Retorna RJ, contará com um sistema integrado a partir de 2023.

O sistema vai reunir todos os dados relativos à logística reversa do Rio de Janeiro.

Como resultado, o programa vai facilitar a comunicação com os órgãos estaduais interessados nas informações, bem como ser transparente para a população.

Além disso, o programa promete capacitar os municípios para a plena implementação da Logística Reversa, bem como emitir certificados e selos para empresas que cumpram as normas.

Ainda mais , desenvolver um decreto regulamentador com diretrizes gerais sobre o tema e fiscalizar, por meio do INEA, a aplicação do conceito em todo o Estado.

Fonte: INEA

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Veja também

Receba GRÁTIS notícias no seu e-mail

Siga-nos nas redes sociais

Últimos artigos