Inspirar para evoluir e caminhar com uma pegada mais leve

Tartaruga-verde deixa lista de animais em risco de extinção

tartaruga-verde

Além da tartaruga-verde, mais três espécies de tartarugas-marinhas que vivem na costa brasileira tiveram melhora na condição

A tartaruga-verde, encontrada na Baía de Guanabara, deixou a lista de animais em risco de extinção.

O anúncio foi feito pelo Ministério do Meio Ambiente, na Lista Oficial de Espécies Brasileiras ameaçadas de extinção.

Preservação da espécie

tartaruga-verde
A tartaruga-gigante não teve mudança na lista e contínua em perigo de extinção – Foto: Reprodução/Pexels

A notícia foi recebida como um respiro para biólogos e pesquisadores que lutam pela preservação das tartarugas-marinhas.

Esses animais são importantes para a biodiversidade na água e na terra.

No Rio de Janeiro, grupos de conservação e preservação direcionadas a espécie, comemoram pois houve o aumento do número desses animais.

Entretanto, ainda existe a ameaça de extinção e por isso, a preservação depende de ações constantes.

Monitoramento

tartaruga-verde
A tartaruga-cabeçuda teve melhora na lista – Foto: Reprodução/Pexels

O Projeto Aruanã, no Rio, acompanha e monitora as tartarugas-verdes na Baía de Guanabara e na Praia de Itaipu.

Formado por especialistas, tem ações de sensibilização e educação ambiental, assim como estudos a partir das interações entre a tartaruga-verde e os ambientes por onde transita.

De acordo com o projeto, o diálogo com a população em geral e com os pescadores é o que tem contribuído para a conservação desses animais.

Na Reserva Extrativista Marinha de Itaipu, o projeto conseguiu incluir duas regras: uma área de exclusão de pesca e o afastamento da rede do costão.

Como resultado, a pesca ainda segue com risco menor de pegar tartarugas nas redes.

Melhora na conservação

tartaruga-verde
Houve melhora na conservação de 4 espécies de tartarugas marinhas brasileiras – Foto: Reprodução/Pexels

Para a Lista Oficial das Espécies Brasileiras Ameaçadas de Extinção, do Ministério do Meio Ambiente, foram avaliadas 8.537 espécies da fauna pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

Quatro das cinco espécies de tartarugas-marinhas encontradas na costa do Brasil tiveram melhora no status de conservação.

A tartaruga-de-pente, que anteriormente estava na categoria “criticamente em perigo”, passou para “em perigo”.

Da mesma forma, as espécies de tartaruga-oliva e cabeçuda passaram de “em perigo” para “vulnerável”.

Em destaque, a tartaruga-verde saiu da lista de espécies ameaçadas, sendo considerada uma espécie quase ameaçada, ou seja, ainda dependente de ações de conservação.

Somente a tartaruga-gigante não teve mudança na classificação, e permanece em “criticamente em perigo”.

Apesar de ainda estarem na lista, a mudança indica que as medidas de conservação e preservação têm obtido bons resultados, mesmo que pareçam pequenos.

Entretanto, para as espécies, essa pequena melhora é extremamente significante.

Fonte: O Globo

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Veja também

Receba GRÁTIS notícias no seu e-mail

Siga-nos nas redes sociais

Últimos artigos