Inspirar para evoluir e caminhar com uma pegada mais leve

Parque Nacional Serra do Cipó e sua riqueza natural

cipó

Conheça o Parque Nacional Serra do Cipó e sua importância para preservação ambiental

O Parque Nacional Serra do Cipó guarda em seu território uma rica diversidade.

Localizado em Espinheira, Minas Gerais, está a apenas 100km de distância da capital mineira.

A diversidade de sua vegetação é impressionante, sendo que algumas espécies só podem ser encontradas no parque.

A topografia acidentada e a grande quantidade de nascentes formam, por exemplo, diversos rios, cachoeiras, cânions e cavernas de excepcional beleza natural.

Com altitudes que variam entre 700 e 1.670 metros de altitude, a Serra do Cipó localiza-se na porção sul da Serra do Espinhaço, importante divisor de duas grandes bacias hidrográficas brasileiras: a do São Francisco e a do Rio Doce.

Vamos conhecer toda essa diversidade?

O Parque Nacional

Cipó
Portaria Areias do Parque Nacional Serra do Cipó – Foto: Viajento

Com o objetivo principalmente de proteger a diversidade da região, em setembro de 1984 foi criado, nos municípios de Jaboticatubas, Santana do Riacho, Morro do Pilar e Itambé do Mato Dentro, o Parque Nacional da Serra do Cipó.

Com uma área total de 33.800 hectares, o Parque tem como objetivo primordialmente, preservar a enorme riqueza natural nativa da região, proporcionando a visitação de forma ordenada.

O Parque Nacional da Serra do Cipó, protege hoje diversas espécies da flora e da fauna brasileiras ameaçadas de extinção, bem como ambientes únicos e paisagens de encher os olhos.

Em 1950, a Serra do Cipó recebeu de Burle Max o título de “Jardim do Brasil” devido a sua beleza impressionante.

Em 1990 foi criada a Área de Proteção Ambiental – APA Morro da Pedreira. A APA Morro da Pedreira circunda toda a área do Parque Nacional da Serra do Cipó e juntas protegem uma área de mais de 100.000 hectares.

Através da Trilha do Vale dos Mascastes os visitantes terão acesso ao Circuito das Lagoas, Mirante do bem, Córrego das Pedras, Capão dos Palmitos e a Cachoeira da Farofa.

Já pelas Trilhas do Vale do Bocaina, pela Portaria do Retiro, os aventureiros podem conhecer o Bambuzal, as Cachoeiras das Andorinhas, do Gavião e a Cachoeira do Tombador.

Trilha do Vale dos Macacos

Circuito das Lagoas

lagos
Circuito dos Lagos – Foto: Edward Elias Júnior/ICMBio

Para chegar ao Circuito das Lagoas você precisa caminhar a pé, cerca de 30 minutos da Portaria Areias.

Durante a caminhada, pássaros e uma linda paisagem são atrações à parte.

Um belo local para tirar fotos, fazer um piquenique, bem como, tomar um banho nas águas locais ou se conectar com a natureza.

Cachoeira da Farofa

cachoeira
Cachoeira da Farofa – Foto: Tripadvisor

A Cachoeira da Farofa, localizada na Serra da Bandeirinha, é um dos atrativos mais procurados pelos visitantes do Parque Nacional.

Possui uma sucessão de quedas d’água com 07 cachoeiras, até atingir um poço em meio a um paredão de rocha de quartzo.

O acesso pela parte baixa da Serra, se dá por uma trilha plana de aproximadamente 7 Km, onde é possível observar o Córrego das Pedras, a Lagoa Comprida e o Ribeirão Mascates.

Cânion das Bandeirinhas

Cipó
Cânion das Bandeirinhas – Foto: Mássimo Buiu/ICMBio

O Cânion das Bandeirinhas, se forma do afunilamento do Ribeirão Bandeirinhas, além claro de cachoeiras e piscinas naturais.

Entretanto, para ter acesso a essa maravilha, é preciso percorrer uma trilha de 12 km, caminhando ou de bicicleta.

Essa trilha é tão intensa, não só em dificuldade, mas também em beleza. Todo o esforço tem recompensa.

Trilha do Vale do Bocaina

Cachoeira das Andorinhas

andorinhas
Cachoeira das Andorinhas – Foto: André Olmos

A Cachoeira das Andorinhas é um dos destaques dessa Unidade de Conservação.

A cachoeira possui uma queda de 30 metros, formando uma piscina natural que te convida ao banho.

São duas horas de caminhada, a partir da Portaria Retiro, além de ser considerada uma trilha moderada devido a pedras no caminho.

O trajeto é o mesmo que leva à Cachoeira do Gavião, mas você vai contemplar nascentes e vegetação nativa endêmica bem como afloramentos rochosos.

Cachoeira do Gavião

cachoeira
Cachoeira do Gavião – Foto: Rodrigo de Jesus Araújo Silva/ICMBio

A Cachoeira do Gavião é formada pelo Ribeirão Congonhas, e está localizada a 1 km da Cachoeira das Andorinhas, através do mesmo acesso.

O poço formado pela queda é deslumbrante e muito apreciado pelos visitantes.

O nome da cachoeira se deve a formação rochosa que circunda a água, que tem semelhança com a asa do gavião, de acordo com os guias locais.

Cachoeira do Tombador

cipó
Cachoeira do Tombador – Foto: Panoramio/Viajenet

Um poço grande para nadar, uma queda exuberante e uma ducha natural revigorante. São essas maravilhas que você encontra na Cachoeira do Tombador.

Acima de tudo, a caminhada de 11km através da vegetação do cerrado vale a pena. Você passa antes pela Cachoeira do Gavião e pela Cachoeira das Andorinhas.

A Cachoeira do Tombador é considerada uma das mais belas da Serra do Cipó, região encantadora de grande beleza natural.

No Parque Nacional da Serra do Cipó, além das maravilhas que apresentamos aqui, você encontra diversas quedas d’água, opções de escala e um alambique.

Sem falar na culinária mineira que é deliciosa, entre outros atrativos. Definitivamente; é um local impressionante para os aventureiros e amantes da natureza.

No site do parque, um folder informativo alerta os visitantes sobre o horário de funcionamento e principalmente as regras de educação;

Uma maravilha como essa, definitivamente precisa ser preservada para que muitas gerações possam conhecer e apreciar.

Fonte: ICMBio Viajiali EM

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Veja também

Receba GRÁTIS notícias no seu e-mail

Siga-nos nas redes sociais

Últimos artigos